Dimensão plena do Ser e Conclusão

 

  1. Dimensão Espiritual

O maior contador de história de todos os tempos, Jesus,

Nos surpreende, ensina e restaura

a partir de uma pequena história”

Sheila Maroccolo

 

            A contação das histórias Bíblicas e de homens e mulheres que fizeram diferença na propagação do amor e do propósito maravilhoso de Deus, também faz muita diferença na vida da criança. São histórias encantadoras, enigmáticas e recheadas de milagres. Para além disso, muita bagagem pode ser alicerçada como:

a)Conhecimento de Deus

Quem é Deus, Jesus e o Espírito Santo, seu amor, seu propósito

b) Confissão e transformação

Entendimento da tríade: Criação, queda e redenção

c) Mundo dos milagres abre as portas

Exercício e experiências com a fé

d) Identificação com personagens

Apropriação do que é devido e importante para a vida cristã

e) Fortalecimento da fé

Entendimento de caminhos difíceis e dolorosos

f) Consciência da criação

Deus criou e mantém todas as coisas para nós

g)Traz refrigério e descanso

Momentos de dor ou tristeza a história nos consola e fortalece, alivia o medo e acalma o coração

h) Constrói alicerces firmes da vida cristã

Ancora-se na doutrina e nas verdades bíblicas

i) Promove desafios e produz mudanças

Mudança no caráter e no comportamento

l) Promove reflexão

Missão, visão e construção de reino

m) Promove consciência do pecado

Mudança e conserto consigo e com o outro

n) Entendimento da Graça

Amor, compaixão e o presente de Deus – Jesus

o) Entendimento da Redenção

Salvação e vida eterna

 

  1. Dimensão Cognitiva

“Saia do barco como Pedro

Então, terás uma história para contar”

Sheila Maroccolo

 

            O encontro, com o enredo da história bem como com os seus personagens, permite que a criança vivencie emoções, reações e instintos, bem como o reconhecimento de fatos e efeitos. Desenvolve a Linguagem; Saberes; Senso crítico; Atenção; Concentração; Criatividade; Concatenação de ideias; Raciocínio lógico; Memória; Identidade cultural; Relações temporais; Abstrações; Compreensão de mundo; Interdisciplinaridade; Incentivo à leitura; Formação do Caráter Imaginação e Disciplina dentre outros.

            É importante para desenvolvimento da criança ouvir muitas histórias. A criança que gosta de histórias provavelmente será uma grande leitora, a contação estará sedimentando essa prática. A preocupação com o livro, quase conseguiu abolir a contação de histórias. Quando a criança entra em contato com a fantasia ela elabora sua identidade pessoal, social e cultural; desenvolve o pensamento e assimila o que era desconhecido; e promove:

a)Conhecimento

Novas propostas trazendo identidade cultural, social, noção de mundo

 

b) A leitura

A Criança se apropriará da leitura, pois, aquilo que ela ouvia, agora desejará ler. Mesmo num livro só com imagens e figuras, ela será capaz de elaborar ou interpretar histórias,

c) A Criatividade

A criança que não se prende a paradigmas ou preconceitos dá asas à imaginação, ao processo criador, lançando-se no novo, no imaginário, no universo do infinito por meio da contação de histórias, novas ideias

d) A Escrita

Um repertório maior de experiências, de palavras, de termos estará sendo gerado enriquecendo a escrita da criança

e) O Enriquecimento do Vocabulário da linguagem

A criança se apropriará de palavras, frases e de uma vivência linguística arrojada, e diferente do que ela conhece.

f) Concatenação de ideias

A História tem princípio, meio e fim; assim a criança ordena, classifica, organiza suas falas e pensamentos, a partir dessa estrutura que é posta

g) Senso Crítico

O que aconteceu com o personagem, no enredo, foi porquê, como, são perguntas que a criança começa a observar

h) Atenção e concentração

Se a criança não ficar atenta à história perderá alguma parte, por isso ela concentra para se apropriar de tudo e não perde nada

i) Raciocínio Lógico

Tempos, falas, locais, momentos, personagens e desfechos começam a ser refletidos e comparados

j) Memória

Um novo repertório de ideias, tempos, personagens, enredos são assimilados

l) Relações Temporais

Passado, presente, futuro, tempos e épocas

m) Abstrações

A criança consegue se apropriar de metáforas ou sentidos figurados de falas e personagens.

  1. Dimensão Emocional

“Contar histórias traz luz à mente

E fogo ao coração”

Sheila Maroccolo

 

Uma história contada pode simplesmente ter o efeito de acalmar, ou tornar a criança mais atenta e perceptiva, a sequência lógica dos fatos e ordenação de pensamentos. Ela promove ainda:

a)Acalma;

A História leva a criança ao enredo posto, fazendo-a parar, se aquietar

b)Elimina Preconceitos

Os diferentes, os menos “favorecidos”, os tímidos

c)Constrói alicerces firmes

Conceitos, verdades, princípios e valores

d)Desenvolve a reflexão nas emoções

Sentimentos bons e sentimentos ruins para consigo mesmo e para com o outro

e)Promove desenvolvimento de Valores e Atitudes

Conceitos, verdades, obediência, respeito, dentre outros

f) Emociona, sensibiliza e estimula reações

Dá vazão a sentimentos

g)Desenvolve Instintos

Percepção, gostos, atenção e afinidades

h)Molda o Caráter 

Sedimenta parâmetros e caminhos a serem seguidos

i)Ensina a ouvir

A Atenção, concentração e percepção são primordiais

j)Diverte

Alegra, descontrai, anima, sociabiliza, encanta, motiva.

  1. Dimensão Conativa         

“Devo amar ao próximo, como amo a mim mesmo”

Jesus

 

            Goleman (2014) nos apresenta uma tríade empática de uma forma fantástica e eficaz. Para o autor, ancorado na Parábola do Bom Samaritano, a empatia tem três pilares: Pensar na dor do outro (cognitivo); Sentir (Emocional) a dor do outro e Interferir (conativo) na dor do outro, resolvendo a dor do outro (espiritual). A compaixão se dá pelo foco nas necessidades e conflitos do outro, gerando uma preocupação empática num caráter conativo; essa teoria é a que esperamos quando nos relacionamos. O desenvolvimento conativo por meio da contação de histórias nos mobiliza a:

a)Identificar dificuldades do outro

Observar, pensar e sentir a dor do outro

b) Ajudar a solucionar problemas

Se preciso guardar nossa dor no bolso para ajudar o outro

c) Exemplificar comportamentos negativos e positivos

Observar o enredo, o papel dos personagens e a gerar uma identificação

d) Construir empatia

Caminho de partilhamento e entrega

e) Gerar assertividade

Todos ganham, quem dá e quem recebe

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.